terça-feira, 10 de novembro de 2009

"Filosofia da aeromoça"

Queridas mães, quem andou de avião já ouviu alguma vez as orientações da aeromoça em relação às máscaras de oxigênio. Lembram? Elas sempre dizem que em caso de despressurização as máscaras irão cair automaticamente e , atenção, deve-se colocar primeiro em nós para depois colocar na pessoa ao lado (quando necessário). Sempre me incomodou o fato de, supostamente, primeiro colocar a máscara em mim e não em alguém que não pudesse fazer isso sozinho. Depois de me tornar mãe, me incomodou mais “ como colocar a máscara em mim e não no meu filho primeiro???”. Afinal as mães, de modo geral, primeiro tendem a atender as necessidades dos seus filhos para depois as suas. Primeiro alimentam seus filhos, depois se alimentam (quando sobra tempo) ,atrasam o banho e outras necessidades, de fato estão mais focadas em atender seu bebê. Aqui estamos falando de necessidades bem primárias, poderíamos citar muitas outras. Mas o caso é que isso tudo é muito bom e importante para a sobrevivência desse pequeno ser. Uma mãe que está atenta aos choros e necessidades do seu filho , priorizando-o, está garantindo o conforto e amor que ele tanto precisa. “Mas ,o que isso tem a ver com a aeromoça?” A pequena analogia com a aeromoça começa quando as mães sempre continuam a atender as demandas do seu filho e esquecem as suas por muito mais tempo do que o próprio precisa. De forma bem simples podemos pensar numa mãe que vai amamentar com fome ou sede. As mães tem muita força e aguentam isso, porém com o tempo podem ficar mais cansadas e enfraquecidas, não será nem interessante para ela ,nem para seu bebê. Aqui é útil lembrar da aeromoça e prestar mais atenção às nossas necessidades, básicas ou complexas, pois uma mãe que se cuida terá mais ânimo, alegria e ternura para cuidar do seu filho. Boa viagem !!!

5 comentários:

Teresa disse...

Na verdade, o aviso da máscara primeiro em vc. é justamente para ter condições de auxiliar a quem estiver ao lado, e o filho especialmente. Nada mais lógico. Nesse caso a necessidade é de sobrevivência. Eu gosto muito da ideia de Compaixão que o budismo tibetano usa: é estar Com- junto- você e a outra pessoa. Dalai Lama não consegue entender o termo compaixão desligado de você mesmo. É o processo entre os dois e não dedicação exclusiva a outrem.
Acho muito oportuno discutir isso sobre a maternidade.Há muita projeção sobre o filho e o pobre tem que suprir as carências da mãe em vários níveis. Oportuno sim discutir este tema em suas múltiplas facetas.

Dede disse...

Parabéns pela iniciativa!

Dede disse...

Agradeço a analogia. Agora será mais fácil lembrar de necessidades básicas como "respirar" para ser capaz de cuidar de nossos filhos. Quantas vezes me vi amamentando sem me alimentar, sem tomar água, exausta... e nem passou pela minha cabeça me cuidar antes de cuidar do meu bebê!

Jaqueline Muller disse...

Apenas para acrescentar a idéia da máscara primeiro em nós, é que: se você sobrevive você consegue ajudar e a salvar vidas,se você coloca a máscara primeiro em alguém que é incapaz de cuidar de si próprio, como ele irá faze-lo para ajudar você?No avião,a despressurização leva segundos,e estes segundos são preciosos para a respiração ou ausência de oxigênio no organismo.Comparando com a amamentação, mesmo que pensemos que seja banal a atenção com a alimentação e a hidratação, que isto pode esperar, tal fato pode ser vital para uma consequencia em cascata que pode resultar na diminuição de produção láctea.
Espero ter ajudado, um grande abraço e não existe alimento melhor para o recém-nascido até 6 meses de idade do que o leite materno.

Juliana Sell disse...

Oi Jaqueline,

Obrigada pelo seu comentário. De fato se queremos ajudar no aleitamento materno, antes de mais nada é preciso cuidar da mãe. Esta precisa estar alimentada e hidratada mesmo, porque vai se sentir mais forte e tranquila. A alimentação pode ajudar e muito até no bom humor da puérpera.
Apareça masi vezes por aqui.
beijos,

Juliana